Vibrador: aprenda como escolher o modelo mais prazeroso para você

Vibrador - aprenda como escolher o modelo mais prazeroso para você

FOTO: GETTY IMAGES

Conheça os mais variados modelos de brinquedos sexuais para masturbação feminina e tire ainda mais proveito deste momento tão íntimo e gostoso

Apesar de ainda ser um tabu, a masturbação já provou ser uma atividade extremamente saudável e indicada para as mulheres. Ela aproxima a mulher à sexualidade e ao seu corpo, permitindo que ela possa conhecer o que a dá prazer.

Nesse sentido, um dos aliados para a prática é o vibrador. Possuindo diversos modelos para estímulos diferentes, com tamanhos, preços e usos variados, é fácil encontrar um que se adapte ao que a mulher precisa. Existem até mesmo vibradores em formato de batom, que você pode colocar na bolsa discretamente e levar aonde quiser.

O que pouca gente sabe é que seu propósito inicial não era exatamente ser um brinquedo sexual. “O vibrador foi criado no século 19, para ajudar as pacientes que tinham como sintomas ansiedade e melancolia – sintomas associados, na época, à histeria. Logo, o seu primeiro uso foi terapêutico. Com o passar dos anos ele assumiu a função de objeto de prazer” diz a sexóloga Márcia Mathias do portal AshleyMadison.com.

E ao contrário do que pode-se pensar às vezes, seu uso não é difícil, prejudicial ou perigoso. Investindo em um bom produto, é possível encontrar no vibrador o prazer que para algumas mulheres a penetração não proporciona.

Se você nunca experimentou usar um e ainda se cansa tendo que usar apenas os dedos para se estimular, aposte em um “amigo eletrônico” e você não se arrependerá. Confira a seguir informações relevantes que vão te ajudar na escolha do vibrador ideal.

5 razões excelentes para investir em um vibrador

  1.    Estimula a região íntima, auxiliando você a treinar o seu corpo para ter mais orgasmos;
  2.    Ajuda a mulher a conhecer seu corpo, seu ritmo sexual e a entender onde mais sente prazer;
  3.    É uma ótima opção para dias em que você está cansada para um sexo “completo”, mas ainda assim quer ter prazer;
  4.    Pode ser considerado um grande aliado da “rapidinha solitária”, sendo uma forma ágil para relaxar a qualquer momento com a masturbação;
  5.    Também pode ser usado a dois, em uma relação, seja para variar a vida sexual do casal ou para explorar novas sensações.

Você tem ou gostaria de ter um vibrador?

Algumas das opções mais vendidas na Intense Sex Shop:
R$119,99

Até 3x de R$40,00 s/ juros

Vibrador x pênis de borracha: qual a diferença?

Paula Aguiar, presidente da Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual, esclarece que a principal diferença é que, em geral, as próteses que simulam o formato do pênis não possuem vibração, enquanto o vibrador sempre possui essa característica.
Outro detalhe é que os vibradores em sua maioria possuem um formato mais curvo, ideal para seguir as curvas do corpo feminino, além de não remeterem ao formato fálico, segundo a presidente da ABEME. Entretanto, hoje há no mercado produtos que mesclam as duas características: o formato do pênis e a função vibrar. Sendo assim, a escolha entre os dois fica a critério da mulher.
Como usar vibrador?

FOTO: GETTY IMAGES

O uso depende de cada tipo de vibrador. Os de uso clitoriano, por exemplo, devem ser posicionados no clitóris e a posição exata ajustada conforme o ponto que dá mais prazer. Já os vaginais e anais dependem de penetração. Por isso, o recomendado nesses casos é usar lubrificante e até mesmo camisinha.
É importante limpar os vibradores com sabonete antibactericida ou com o produto sugerido no manual de usuário do aparelho. Lembrando sempre que a parte elétrica, como cabos e pilhas, não pode ser molhada. A boa notícia é que hoje já existem vibradores à prova d’água para usar até mesmo na hora do banho.
Não existe muito segredo para o uso dos vibradores, a dica é procurar o ponto e a posição que mais ficam confortáveis e prazerosos para você e seguir também as orientações específicas do seu tipo de vibrador contidas no manual.

É “normal” usar vibrador? Sexóloga esclarece

A sexóloga e consultora Márcia Mathias discute a seguir algumas das principais dúvidas femininas quanto ao uso do vibrador: “Ao entrar em um sex shop, toda mulher fica impressionada com as variedades de vibradores. Basicamente eles se dividem em dois tipos: estimuladores externos (bullets – pequenos e fáceis de transportar, tem função de estimular o clitóris) e os estimuladores internos (que além de estimular o clitóris, fazem a penetração vaginal).”
“Estes ficaram mais conhecidos depois do seriado Sex and the City quando a personagem Charlotte ficou viciada com o brinquedinho. O episódio nos faz questionar o uso exagerado que pode deflagrar uma compulsão sexual, do prazer pelo prazer. O ideal é que o objeto seja utilizado com sabedoria emocional. Há ainda um terceiro tipo, que é o vibrador anal” orienta a sexóloga.
Ela ainda adiciona que estes brinquedinhos não são só utilizados por mulheres que não possuem um companheiro. Também são recomendados para apimentar a relação a dois e para casais da terceira idade, quando o homem começa a ter dificuldade de ereção. Eles trazem mais prazer ao orgasmo.
Contudo, de acordo com a especialista, quando usados sem a presença de um companheiro podem ressaltar a falta da troca de carinhos e de beijos que geralmente segue seu uso, gerando uma tristeza devido à circunstância, passando por um ato solitário. Nesse caso, a recomendação para as mulheres é que sintam-se à vontade, seja na cama ou no banho por exemplo, podendo se associar o seu uso à filmes eróticos.
“É preciso reforçar que essa pratica não é algo vergonhoso, tabu como está subentendido hoje, nem precisa ser mantida em segredo. Há casos em que os vibradores são indicados por médicos em casos de disfunção erétil ou dificuldade de atingir o orgasmo, mantendo assim a funcionalidade da vagina. Devemos, contudo, tomar alguns cuidados na hora da compra, ter atenção quanto ao material do vibrador, limpá-lo com sabonete neutro, usar lubrificante e lembrar que ele é pessoal e intransferível” alerta Márcia.
Na prática de consultório observamos que a baixa frequência ou inexistência de orgasmo, causa frustrações na mulher, podendo inclusive levar algumas mulheres à depressão. Por isto ele é cada vez mais recomendado, sem exageros, para manter a sensação de prazer viva na mulher, finaliza a consultora.

Matéria retirada de: https://www.dicasdemulher.com.br/vibrador/

WhatsApp chat